Os desequilíbrios e o Estresse Hídrico

O primeiro problema é o desequilíbrio na distribuição - um desequilíbrio que começa pela geografia física e segue pela economia. Alguns países têm muito mais água do que sua população necessita. É o caso do Canadá, da Islândia e do Brasil. Outros são situados em regiões extremamente secas, como o norte da África, o Oriente Médio e o norte da China.

Como resultado dessa má distribuição, um canadense pode gastar até 600 litros de água por dia, enquanto um africano dispõe de menos de 30 litros para beber, cozinhar, fazer a higiene, limpar a casa, irrigar a plantação e sustentar os rebanhos.

As populações que habitam as áreas mais áridas da Terra vivem o que se chama "estresse hídrico", uma reunião de fatores ambientais, como falta de chuvas, e socioeconômicos, como crescimento demográfico alto, que resulta em gente demais para água de menos.


Fonte: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/conteudo_261013.shtml

Os paradoxos Hídricos

A natureza pode ser irônica quando responde às agressões causadas pelo homem. Exemplo disso é a relação da humanidade com a água, o líquido mais abundante da Terra. Tratamos tão mal nosso planeta que acabamos nos colocando numa realidade catastrófica, de dupla face: ao mesmo tempo que corremos o risco de afogar nossas cidades sob a água salgada do mar, padecemos da falta de água doce.

De um lado, está o aquecimento global, com o conseqüente derretimento das geleiras e a elevação do nível dos mares, que ameaça desalojar bilhões de habitantes das zonas litorâneas. De outro, há o esgotamento das reservas de água potável do planeta. Em outras palavras, estamos chegando à mesma situação extrema de um náufrago, que se vê com água por todos os lados, mas sem nenhuma gota para beber.

Relatórios da Organização das Nações Unidas (ONU) repetem o diagnóstico cada vez mais alarmante: mais de 1 bilhão de pessoas - o equivalente a 18% da população mundial - não têm acesso a uma quantidade mínima aceitável de água potável, ou seja, água segura para uso humano. Se nada mudar no padrão de consumo, dois terços da população do planeta em 2025 - 5,5 bilhões de pessoas - poderão não ter acesso à água limpa. E, em 2050, apenas um quarto da humanidade vai dispor de água para satisfazer suas necessidades básicas.

A escassez de água não ameaça apenas com a sede. Traz a morte na forma de doenças. Segundo a ONU, 1,7 bilhão de pessoas não têm acesso a sistemas de saneamento básico e 2,2 milhões morrem a cada ano em todo o mundo por consumir água contaminada e contrair doenças como diarréia e malária.

A água potável é um bem raro por natureza. Quase 97,5% da água que cobre a superfície da Terra é salgada. Dos restantes 2,5%, dois terços estão em estado sólido, nas geleiras e calotas polares - de difícil aproveitamento. A maior parte da água em estado líquido encontra-se no subterrâneo. Lagos, rios e lençóis freáticos menos profundos são apenas 0,26% de toda a água potável.

É dessa pequena fração que toda a humanidade (e boa parte da flora e fauna) depende para sobreviver. É claro que, a princípio, fontes não deveriam esgotar-se, com o ciclo da água garantindo a permanente renovação do volume de rios, lagos e lençóis freáticos por meio das chuvas, originadas pela evaporação dos mares. A água está em eterna reciclagem, há bilhões de anos. A questão é o descompasso entre o tempo necessário para essa renovação e o ritmo em que exploramos os recursos hídricos.


Fontes:

Texto:http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/conteudo_261013.shtml


Imagens: http://www.tribunadomaranhao.com.br/noticia/matoes-alem-de-faltar-nas-torneiras-a-agua-consumida-pode-estar-contaminada-2388.html


http://www.tribunadomaranhao.com.br/noticia/matoes-alem-de-faltar-nas-torneiras-a-agua-consumida-pode-estar-contaminada-2388.html

Água, Fonte de Vida!

video
Um vídeo inicialmente elaborado para a Feira de Ciências do colégio GEO Sto. Antônio Solânea - PB, mas que serve de mensagem para a conscientização de todos nós sobre o uso da água e a escassez que vem ocorrendo no nosso planeta devido ao mau uso desse recurso natural tão importante para a sobrevivência humana.

Com a trilha sonora de "Terra, Planeta Água" na voz da ex-dupla musical pop brasileira Sandy & Junior.

Cliquem, vejam, conscientizem, repassem e o mais importante: Façam acontecer!

Vídeo criado por:

Carlos Eduardo Paiva de Freitas
Guarabira - PB.

Casca de banana pode despoluir a água






Só na Grande São Paulo, quase quatro toneladas de cascas de banana são desperdiçadas, semanalmente, nos restaurantes. Foi esse dado, divulgado em uma reportagem sobre desperdício de alimentos, que estimulou a doutoranda em química Milena Boniolo a pesquisar uma utilidade para as cascas de banana. E ela encontrou: despoluir a água contaminada por metais pesados.
O processo é simples e funciona graças a um dos princípios básicos da química: o dos opostos que se atraem. Na casca da banana, existe uma grande quantidade de moléculas carregadas negativamente, enquanto os metais pesados são positivamente carregados. Logo, quando colocada na água, a casca da banana atrai para si os metais.
Para que dê conta do recado, no entanto, ela precisa ter suas propriedades potencializadas. Milena Boniolo também descobriu uma “fórmula” bem simples para isso: em uma assadeira, as cascas devem ficar expostas ao sol por cerca de uma semana. Em seguida, elas são trituradas e peneiradas. No fim, é essa “farofa de casca de banana” que será jogada na água para despoluir o recurso.
Segundo a pesquisadora, 5 mg do pó de banana são suficientes para despoluir 100 ml de água. Mas, para alcançar altos níveis de limpeza, é preciso repetir o processo mais de uma vez. Isso porque, em testes de laboratório, a casca de banana conseguiu “chupar”, de primeira, cerca de 65% dos metais pesados que estavam na água.

Fonte: Superinteressante - Foto: Fabio Castelo
Retirado do blog: http://conexaoambiental.zip.net/

Você sabia?

Para se produzir:
     - um quilo de arroz, gastam-se 3 mil litros de água;
     - um quilo de carne de boi, 15.500 litros de água;
     - um litro de leite, 1000 litros de água e
     - uma xícara de café, 140 litros de água!


Fonte: Planeta Sustentável
Retirado do Blog: http://conexaoambiental.zip.net/

Uma imagem pode valer mais do que mil palavras...


Diante desta imagem, desfaz-se a necessidade de muitas palavras: Vamos preservar aquilo que temos de mais importante: a Água. 
      Temos a oportunidade e o privilégio de podermos fazer isso enquanto muitas pessoas já não dispõem mais desta opção. 
      Não precisamos chegar ao estado retratado na foto para nos conscientizarmos e tomarmos a decisão de preservar a água. 
      Preserve a Água, preserve a Vida.